domingo, 9 de agosto de 2009

Dicas de Blog - Vário do Andaraí

CURTIDO EM ESTRELAS
Tarifado por Vario do blog Vário do Andaraí

055 em qap e pronto pra cópia
Ainda não era bem tarde. Tirando morte súbita, nunca é tarde. E eu acabara de entrar em Vila Isabel, terra de Noel, santo forte, não haveria morte súbita portanto. A madrugada era alta, curtida em estrelas : não será inda tarde.

( Em Vila Isabel, a pessoa passa pelos portais do bairro – pronto ! -, em alguma medida vira bandido, malandro ou poeta. Como explicar ? É mais ou menos assim : um discreto funcionário público continua sendo um discreto funcionário público, uma recatada vozinha de família não se desrecata do que é, mas alguma coisa misteriosa se opera. É como se as juntas do esqueleto espiritual da pessoa se lubrificassem com o óleo da marginália )

Pois bem, assim que eu entrei no bulevar 28 de Setembro, três caras com um monte de volumes e mochilas fizeram sinal. Eram músicos : um tecladista, um de sopros e outro de ritmos.

Cabe ou não cabe ? Cabe ou não cabe ? Cabe ou não cabe ? Coube. Apertamo-nos e nos coubemos. A música tem que caber.

Viemos conversando, eu disse que tinha estudado um pouco de música, e um deles me carniçou bonito, “com esse seu porte, tu tem um jeitão de quem tuba…”. Curtidos em estrelas, rimos quatro.

Ah, é assim ? Me forjei de safo, assoviei um tema, propus um mote, cutuquei a matilha :

“Batuque de boca, batuque de boca, ribomba no bumbo do baobá. Ele não é poeta, ele não é profeta, ele não é demente, ele é tão-somente um curtido em estrelas”

Pra quê ? Eles desembainharam os intrumentos das cases : o teclado se ligou no acendedor de cigarros, a bateria montou-se no banco do carona e o saxofone e a flauta foram soprando a melodia pelas janelas abertas da viatura musicando o caminho que o leitor pode presumir qual seja : é só clicar na seta verde da imaginação.

Quanto a você, ouvinte, eu não sei, mas, para mim, os três fizeram um puta samba malvado. Que os créditos sejam dados a quem pois o que de direito e esquerdo, de certo e incerto é :

Xande Figueiredo – Pandeiros, moringa, agogô, balde, bateria-tiroteio e ambiência geral.
Eduardo Neves – Saxofone e flauta.
Adriano Souza – Teclados.
Piloto – Guidão, assovio.

Comente e Ouça o som no post original
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...