quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Texto de Leitor - Poesia em Prosa - SORRISO DE RENATA

Minha primeira postagem real é a de um texto de um amigo aqui de Brasília. Apreciem.
SORRISO DE RENATA


Silveira Bueno, em seu Minidicionário da Língua Portuguesa, conceitua sorriso como:.
Ato de sorrir; manifestação de um sentimento de benevolência, simpatia ou de ironia, que se faz com ligeira contração dos músculos faciais.
É perfeitamente normal, os dicionários serem bastante técnicos, e não conseguirem transmitir a essência da palavra para quem os consulta. Talvez isso seja função dos poetas.
Como não sou catedrático da língua portuguesa, e infelizmente, não tenho o dom para a poesia, tentarei tratar do assunto como homem e admirador dessa mais pura e espontânea expressão do ser humano.
Falo aqui do sorriso puro e espontâneo, podendo o leitor já excluir de seu pensamento o irônico, que é tão fácil captado e percebido por nós.
Será mesmo o sorriso uma simples expressão de simpatia e benevolência? Creio que não. Ele nos encanta, nos desmancha, nos apaixona, nos dá aquela vontade de fazer de tudo para que a outra pessoa nos dê um sorriso. E quando já não mais conseguimos, apelamos e dizemos: “ah, dá um sorrisinho antes de ir embora, por favor” ou as vezes somos chantagista, “só faço isso se você sorrir como só você sabe fazer”.
Não sorrimos da mesma forma para todas as pessoas, existe sempre aquela pessoa que nos tira o mais belo e profundo sorriso. Nesses momentos existe toda uma preparação para sorrir. Geralmente iniciamos por dentro, essa vontade passa por todo o nosso corpo, dá uma voltinha pelo coração, sobe para a cabeça, ai fechamos os olhos, naquela intenção de potencializarmos ao máximo esse momento (iguais os desenhos animado), e ai sim, como numa explosão nuclear, abrimos nossos lábios, liberamos o sorriso e contagiamos todos ao nosso redor.




Autor: MORETH, Jonatas. Primeira Publicação, Brasília, 2007
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...